sábado, 30 de maio de 2009

VERSOS BRANCOS

Foto de Simona Andrei


Perco-me à tua procura
na madrugada de ondas
que sussurram místicos segredos
para não acordar o mar.
Só encontro saudade resinada
escorrendo pelo tronco
onde deixaste as folhas
que me cobriam o olhar.

Dispo-me à frente do vento
para que meu corpo grite
o frio que arrepia a pele
quando as mãos se ausentam.
São meus dedos que escrevem,
escravos da pena a que me dedico,
versos brancos na neve
à espera dos teus passos
para que os decifres.

4 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

gosto muito de ler tudo o que escreve, seja em prosa ou poesia.

nem sempre comento, pois o tempo por vezes é o nosso maior inimigo.

este poema está terrivelmente belo.

obrigada por o ter compartilhado por todos os que conhecerem este espaço.

um beij

Luísa disse...

Belo momento de leitura!
Embora triste, mostra sentir, mostra amor, mostra sofrer...
Tudo que é belo por amor, tem uma carga q.b. de dor, não é verdade?
Beijinho terno!
Adorei a tua visita ao olhardeperto!

mariab disse...

belíssimo. sentimento à flor dos dedos. beijo

Helena Branco disse...

BELO!

ABRAÇO PASSOS