terça-feira, 26 de maio de 2009

RUMO A...

Foto de Renato Corradi

Se eu soubesse que no oceano há uma ilha deserta, ou abandonada, onde fosse possível deitar, no areal, o meu corpo ávido de calor. Se nessa ilha nascesse um ribeiro onde pudesse saciar minha sede de ternura. Se nela se plantassem árvores que dessem como fruto palavras de paixão, e delas rompessem ramos que me abraçassem. Se nessa ilha houvesse um lago onde mergulhasse meus desejos. Se nela existissem videiras de onde se extraísse um licor que me inebriasse o coração. Se no céu que a envolve brilhassem estrelas que em forma de olhar me sorrissem. Se eu soubesse que anseias pela minha chegada… seria caravela de panos desfraldados ao vento, navegando rumo a… uma ilha.

3 comentários:

Gisela Rosa disse...

...as ilhas são projecções, do fundo do mar...

Alexandra disse...

Se eu soubesse que o oceano me devolvia a imagem dum passado...seria uma gaivota em voo razante...para que as lágrimas não se perdessem...

Helena Branco disse...

...tudo o que anseia lhe é devolvido, já vive nessa ilha
Solte amarraras que a vida mudou de lugar aguarda-nos a cada fôlego...



Abraço para PASSOS