quinta-feira, 25 de junho de 2009

UM SEGREDO

Foto de Elhanh


Resolvi desvendar-te um segredo
divido entre o coração e a razão,
duas faces duma mesma verdade
diluídas no pulsar da ilusão;
deixo morrer a vontade,
renuncio à voz do desejo,
esqueço o ensaio dum abraço,
o sabor não provado dum beijo;
acolhe-me o mar tranquilo,
como racional sou aplaudido,
são incertos os passos dados
correndo do coração foragido;
deixo-me navegar na espera,
na incapacidade de desistir,
na esperança dum olhar,
duma palavra na tua boca sorrir;
e é a tempestade do amor
que me molha até à alma,
num dique de manhãs revoltas
desenho uma madrugada calma;
e sou levado pelo prazer,
trucidado pela dúvida da incerteza,
fecho-me no silêncio das muralhas
desta paixão tua fortaleza;
num segredo abrigo duas verdades:
a do coração e a da razão,
vivê-las eternamente
é, com certeza, evidente ilusão!

4 comentários:

C. disse...

Com uma quase redondilha maior, este belissimo poema daria, sem dúvida, uma canção. Quanta musicalidade!
Parabéns.

Beijinho

© Piedade Araújo Sol disse...

belo poema e sábia verdade,num segredo podemos abrigar duas verdades, claro.

gosto do que escreve!

beij

Gisela Rosa disse...

...nada nos é dado definitivamente, nem sequer nós próprios a nós próprios! (Gaston Bachelard)
A vida é um segredo.

Tia_Cunhada disse...

Quase diria que este poema foi escrito para mim, ou por mim, ou a meu pedido... de tanto que me identifico com ele...
Um beijo