sábado, 6 de junho de 2009

PERMANEÇO

Foto de Paola Tarozz


Permaneço
na efemeridade do tempo
onde não me encontro
numa procura eterna
de que a vida me surpreenda
na ansiedade amordaçada
de descobrir o que e o quem não sei
e não parto
nem chego
apenas permaneço

3 comentários:

susana disse...

Este poema... é interessante o acaso. Estou a ler Todos os Nomes, de Saramago, e este poema cai-lhe como uma luva. À espera que a vida faça uma surpresa...

sonja valentina disse...

sem "procura" nada acontece. mas não de surpresas da vida, antes de nós próprios.
com verdade.
para isso é preciso ir.
avançar.
libertar.
chorar.
rasgar.
ter coragem de chegar.
para depois com liberdade de/na alma permanecer.

Parapeito disse...

....dizem alguns: que a procura eterna...cansa :)