terça-feira, 23 de junho de 2009

EM BRANCO

Foto de King Douglas

Sinto-me uma página vazia
esquecida, desconhecida, incógnita
um espaço desocupado sem vida
Sinto-me um lugar desabitado
desprovido, imperceptível, sem luz
uma folha branca ignorada
E nada espero, mas anseio
e nada aguardo, mas desejo
um olhar
a necessidade de tocar
uma palavra
a precisão de parar
para reparar
para escrever
e contemplar.

9 comentários:

Tia_Cunhada disse...

Como podes sentir-te uma página vazia se do teu interior jorram poemas tão belos como este???

Que bem escreves...

Charlotte disse...

Que pena que te sintas assim:(
Não devias...já que o que escreves nesta página branca é muito bonito para ser ignorado!
Ânimo!

Alexandra disse...

Pode sentir-se, mas não o é! Quem assim escreve, quanto muito, poderá ser uma página virada, mas nunca vazia!

Gi disse...

Uma página vazia mas cheia de encanto!

Maria Clarinda disse...

(...)E nada espero, mas anseio
e nada aguardo, mas desejo
um olhar
a necessidade de tocar
uma palavra
a precisão de parar
para reparar
para escrever
e contemplar.


Lindo!!!
Jinhos

Parapeito disse...

Há momentos assim...
*********

mariabesuga disse...

página vazia onde o espaço todo está aberto a todos os recomeços.

espaço desocupado pronto a receber toda a luz todo o desejo que passem a habitar-lhe a esperança.

© Piedade Araújo Sol disse...

mais um poema que pode ser lido de baixo para cima.

muito bom!

beij

Luísa disse...

Que belo este teu sentir...
A imagem? Adequadamente postada ao lado de palavras tão belas!
Beijinho terno!