quarta-feira, 24 de junho de 2009

SEGURA-ME!

Foto de Kevin Ng

Segura-me!
No limite do dia
não deixes que anoiteça!
Na raia da esperança
afugenta a dúvida!
No limiar da paixão
lembra-me a amizade!
No umbral da união
segreda-me o eu!
Na fronteira da mágoa
acende a confiança!
No desprender da lágrima
solta-me o sorriso!
À beira da partida
segura-me a mão,
não me deixes fugir a infância!
Segura-me!
Alimenta-me a vida!




12 comentários:

Ana disse...

Na fronteira entre a solidão e a amizade, a falta de uma mão que nos segure.

Gi disse...

Sustenta-me!
Que não sei estar à tua altura!
Tem paciência comigo!
Que não te sei comentar!
Tem indulgência!
Porque gosto muito do que escreves!

ParadoXos disse...

não me atrevo a comentar sob pena de estragar a palavra - tão elevada e em perfeição!


abraço

Tia_Cunhada disse...

Delicioso de ler... como sempre!
Um beijo

Maria Clarinda disse...

(...)No desprender da lágrima
solta-me o sorriso!
À beira da partida
segura-me a mão,
não me deixes fugir a infância!
Segura-me!
Alimenta-me a vida!


Lindo...sem palavras!!!
Jinhos

Parapeito disse...

"À beira da partida
segura-me a mão,"
...Que possa sempre ser assim...
Gostei muito *****

Charlotte disse...

Tenho uma palavra para este poema: MÁGICO!

Patti disse...

É muito difícil e quase uma ingerência comentar todo este pessoalismo.

paletadesonhos disse...

como uma dose refrescante para todas as nossas "desaventuras"
a deep smile

© Piedade Araújo Sol disse...

interessante, além de ser um bom poema, pode ser lido de baixo para cima e também faz sentido.

gostei!

beij

Tchi disse...

Sê-me também farol.

Luísa disse...

STOP!
Há um aroma de inspiração ao rubro neste belo poema!Sentem-lhe o cheiro?
Aínda dilato as narinas para o sentir e lhe fazer justiça no comentário...Mas palavras para quê?

Beijinho terno!