sábado, 1 de agosto de 2009

OLHARES DE SEDUÇÃO

Olhava-a como se ao contemplar um quadro lhe tentasse descobrir a sucessão de tintas aplicadas até à composição final. Tentava perceber-lhe cada traço que a delimitava, que a desenhava, que a preenchia, que a delineava. Sem movimento o olhar dele percorria-a, milímetro por milímetro, arredando-lhe os cabelos, tocando-lhe a pele, adivinhando-lhe pensamentos.

Sentia-se observada e lançava para o exterior a sua atenção ocular. Não derretia a postura, ouvia o olhar que a calcorreava. E vibrava interiormente com a sensação doce de se sentir distinguida. Aqueles instantes, em que experimentava ser o centro de admiração para alguém, devolviam-lhe uma segurança pela qual, tantas vezes, procurava sem resultado.

Ponderada e estrategicamente desviava o olhar da janela e encaminhava-o para aquele ser que a contemplava. Tentou olhar-lhe nos olhos mas não os encontrou. Intencionalmente, ele, afastava-os ao pressentir a chegada dos dela. Parou nele. Não como quem descobre, mas sim como quem espera. Não procurava. Aguardava que lhe fosse revelado. Não se inquiria. Chamava, com o seu olhar, aquele outro para que voltasse, para que desse continuidade àquele prazer de se sentir espreitada.

Pelo menor ângulo, ele observava o olhar dela, atento ao que dizia. Quando deliberadamente o dela voltava à janela, dando-lhe espaço para o regresso, ele repetia a contemplação. Registava, com o seu olhar, uma infinita sequência de imagens, takes sucessivos dum filme para nunca realizar e despiu-lhe os pensamentos adivinhando a vontade dela, num jogo silencioso de sedução que se esfumou na estação em que ela
saiu.

4 comentários:

Tia_Cunhada disse...

"ouvia o olhar que a calcorreava"...
Gostei deste brincar com os sentidos...
Que mulher não gosta de ser seduzida?
Que homem não gosta de se sentir desejado?
Muito bom, como sempre...

susana disse...

Nesse momento, em que o olhar dela se dirigiu para o grosseiro degrau da escada que descia, percebeu que jamais voltaria a perscrutar-lhe os sentidos, e, sem saber porquê, aquela imagem ficou-lhe cinzelada na memória. Em cada nova perda, após cada nova conquista, a imagem de uns olhos em busca dos seus voltava. E se tivesse aceitado o olhar?

AnaMar (pseudónimo) disse...

Leio, escuto a musica. volto a ler.
E fico sem palavras para te dizer que...
Bj

Parapeito disse...

...é bom seduzir...é bom ser seduzido :)
Gostei dests sedução****