sábado, 29 de agosto de 2009

ESCONDES TEU DESEJO

Foto de moses stell


Escondes-te
no anonimato das horas
para me seguir

e eu não sinto
não vejo teu olhar
não ouço tua voz
não pressinto tua presença

Silencias
o desejo de chegar até mim
e eu não te toco
não te falo
não sinto tuas mãos
não desvendo teu suspiro

mas é a ti que eu desejo
é o teu desejo que quero abraçar
esse desejo que se mata no desejo
de desejar

… nas horas incógnitas
em que passas por mim
sem te revelares.

6 comentários:

Tia_Cunhada disse...

Lindo. Agora, com as férias como inspiração, parece que escreves ainda melhor...
Fica bem.

cilita disse...

Há silêncios que falam mais que as palavras, e por vezes faz-nos tanta falta o silêncio.Lindo este teu poema, adorei.

C. disse...

o desejo... é sempre o desejo do desejo do outro.Não será?
:-)

Helena Branco disse...

Absolutamente Belo! o desejo começa antes...no silêncio e espera pelo esmeril da explicitação; insustível terno ardente...

Querido poeta...a sua elegância a sua maturidade expressiva revelam
o bailado cuja leveza e harmonia tocam a asa do cisne

ABRAÇO para PAS[Ç]SOS

Ana disse...

Mesmo sem se revelar, é o desejo que faz a vida fluir.
Um beijo com desejo de te ler mais.

paletadesonhos disse...

hum , como as palavras podem ser tão sensíveis ... desejo, sedução , quem não gosta!
;)