domingo, 23 de agosto de 2009

GOTAS DUM ABRAÇO

Foto de Tracy Martin


Encostaste-te em mim
como se eu fosse a muralha
que te descansa
que te segura.
Coloquei meus braços
em volta da tua cintura
como o mar
que abraça uma ilha.
Pousaste tuas mãos
nos meus braços
como o pôr-do-sol
que serena o entardecer.
Fechaste os olhos
e repousaste tua cabeça
no meu ombro
como quem se entrega na areia
para deixar penetrar o sol.
Passei meu queixo
pela pele de teu pescoço
e criaste espaço
como as espigas que se apartam
para deixar passar o vento.
Demorei meus lábios em ti
e encolheste-te em mim
como se não fossem um sonho
estas palavras
que lacrimejam como gotas
escorrendo no vidro do teu olhar.

7 comentários:

paletadesonhos disse...

hum ... que bom , sentir um doce aperto ....
;)

Tia_Cunhada disse...

Passei aqui para matar saudades... e ainda bem que o fiz! Que poema fabuloso.
Um beijo

C. disse...

Ainda que não se possa viver só de sonhos... é bom quando, através deles, continuamos a acreditar nas infinitas possibilidades de vida. Quanta sensibilidade por aqui!

Abraço.
E bem haja pelas suas visitas lá no marcas.

cilita disse...

Quem não gostaria de um abraço assim?

Charlotte disse...

Que bela imagem nos dá este poema...a isto se chama um abraço apaixonado.

sonja valentina disse...

doce e suave encanto

© Piedade Araújo Sol disse...

a suavidade de um abraço, feito poema.

beij