quinta-feira, 24 de setembro de 2009

ESCREVE-ME


Escreve-me!
há tanto que não o fazes.
Sinto falta
daquelas longas páginas
com olhares da tua alma.
Escreve-me!
aqueles pedaços de ti
por onde passava meus dedos
na espera de guardar
a morfologia da tua pele.
Escreve-me!
aquelas missivas inadiáveis
que penetravam em meu coração
qual míssil de longo alcance
explodindo no deserto
onde agora secam meus desejos.
Escreve-me!
aquelas palavras soltas,
pequenas gotas de cristal
caindo no vidro do meu olhar,
fertilizando vales de esperança
cada vez mais distantes.
Escreve-me!
ou…
se não quiseres,
se não te sentes capaz,
se as palavras já não te expressarem,
dobra em três uma folha branca,
fecha-a num envelope
e envia-ma…
pelo menos saberei
que te lembraste de mim.

8 comentários:

paletadesonhos disse...

responderei sempre a quem me peça algumas palavras , pois fico suspensa pela emoção da partilha

continuando assim... disse...

e será o silêncio a falar ...

gostei

bj
teresa

© Piedade Araújo Sol disse...

mesmo sem escrever, deve lembrar.

um poema com mesclas de saudades e sentires.

muito bom.

beij

Tia_Cunhada disse...

Hum... não sei se escreva se deixe este espaço em branco...
:-) Beijo

Gi disse...

Pde ser que no Dia Mundial dos Correios ( que está próximo) essa pessoa te escreva como desejas.

sonja valentina disse...

as suadades expressas de uma forma sublime... ainda que em silêncio.

Zaclis Veiga disse...

Adoro escrever e receber cartas e teu post resume muitos dos meus pensamentos. Há dias que somente os sentimentos descritos nas cartas de papel selado, fazem sentido.

AnaMar (pseudónimo) disse...

Uma carta de saudade num belo poema de amor.

Adoro escrever e receber cartas.
E sinto também a falta de as receber.