sexta-feira, 4 de setembro de 2009

DIZ-ME

Foto de Mal Smart

Diz-me que não parta
à procura do céu
por onde desenhas
o teu voo

Diz-me que não tente
adivinhar
os pensamentos que comandam
teus passos

Diz-me que não me iluda
na leitura das palavras
a que atribuo
significados procurados

Diz-me que não transforme
memórias do passado
em cumplicidades do futuro

ou então...
cruza o teu voo no meu céu!
faz dos meus passos, teus pensamentos!
decifra nas minha palavras os teus sentidos!
desenha o teu futuro com o nosso presente!

6 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema muito bom, como aliás, quase todos.

este poema também pode ser lido no sentido de baixo para cima.

parabéns

beij

continuando assim... disse...

é isso o mais perigoso ...
atribuir às palavras o nosso sentido

bom fim de semana

Teresa

susana disse...

Ou seja: casa comigo. :)
Ou então... deixa de existir.

O poema de todos nós.

Ana disse...

"Cruza o teu voo no meu céu" ... Belo!

Sonia Schmorantz disse...

Achei lindíssimo este poema, li e reli várias vezes, parabéns!
um abraço e ótimo final de semana

Helena Branco disse...

"eu não sei parar de te olhar"...como seu Jorge

os sentimentos que escreve a palavras

ABRAÇO