terça-feira, 10 de março de 2009

NUMA PRAIA DE SARGAÇOS

Foto © Bruce Grant


Numa praia de sargaços
deitei meu corpo na areia
na solidão de meus passos
cheguei
 já era lua cheia
Minhas palavras despira
no leito revolto dum rio
memórias ardendo em pira
no lume dum Inverno frio
Versos instinto foram vento
correndo em corpos desconhecidos
num querer sem alento
sarar sentimentos feridos
Nas palavras doutros mergulhei
toquei-lhes na pele e olhar
sem prosas, regras ou lei
bebi dum só trago todo o mar
Quando dei por mim
o céu vestira-se de estrelas
e eu desconhecendo o fim
fiquei com medo de perdê-las

Numa praia de sargaços
deitei meu corpo no teu
e entre beijos e abraços
o desejo adormeceu!

1 comentário:

alice disse...

um bonito poema em rima :) beijinhos, paços.