sábado, 21 de março de 2009

HOJE



Hoje as palavras não bastam
aliás nem existem palavras
hoje há uma distância inultrapassável
mas não dói, não entristece
hoje há uma brisa, uma água fresca, uma melodia
a correrem dentro de mim
hoje eu não quero escrever palavras
eu hoje só quero o mar ao fundo
o teu olhar no meu, em silêncio
minha mão poisada na tua
e não falar, apenas sentir
que a tua música é minha
os teus sonhos, meus desejos
e deixar-me ir ficando
a ouvir a mesma ondulação,
a mesma água, o mesmo sal,
o mesmo céu, o mesmo sol,
o mesmo vento, o mesmo arrepio,
… e…
e quando o silêncio já não durar
quando a ternura gritar
parar de estar parado,
fechar os olhos e deixar
nossos lábios colarem-se
e falarem, entre eles, coisas
que eu não sei dizer, nem falar,
nem escrever, nem cantar, nem gritar,
… só sentir
… e que neles fique
o meu gosto no teu gosto
o gosto de ti no meu gosto

3 comentários:

Milouska disse...

Olá, Passos!

Escrever é um óptimo exercício para libertar o que vai na alma, mas há sentimentos intraduzíveis em palavras.
Um beijo,

Milouska

mariab disse...

lindíssimo, poeta! um beijo, neste dia que é teu.

Gisela disse...

"eu hoje só quero o mar ao fundo"

Um abraço Passos