domingo, 22 de março de 2009

LIBERTAS

Foto © jot.de


De acordo com notícia veiculada pela Agência Lusa terão sido, hoje, libertas as palavras detidas há uma semana atrás. A libertação resulta da renúncia, por parte da acusação, da queixa evocada, facto que mereceu a concordância do Ministério Público. Em comunicado distribuído aos órgãos de comunicação social é referido que a detenção das referidas palavras terá provocado, em certos leitores, uma franca decadência dos níveis de ternura, de sonho, de beleza, de desejo, para nomear apenas alguns dos predicados mencionados. Ouvidas à saída do local onde permaneceram ao longo de uma semana, as palavras agora libertas escusaram-se a prestar declarações extensas, apenas referindo que o desejo irá ser repetido e insistentemente gritado com verdade, sonho, genuinidade e ternura. Até ao fecho da edição não foi possível qualquer contacto com o autor destas palavras.

2 comentários:

sonja valentina disse...

... fiéis a si mesmas e a nós mesmos, só isso conta e tem verdadeiro valor, ainda que só para nós mesmos!

Milouska disse...

Pois que as palavras ora libertadas continuem a perseguir o seu objectivo.