segunda-feira, 19 de outubro de 2009

PEGADAS [E ASSIM, SIGO OS TEUS PASSOS!]



Vês aquela extensão de areia que se deita de braço dado com o mar? Vês como ele a roça, teimando em apagar-lhe as memórias do passado? Vês como ela se alonga, de novo, quando ele recolhe a sua carícia? E vês como ela aquece no calor dos raios, a que ele acorre para lhe saciar a sede? Há um jogo de sedução que se extingue na efemeridade duma rebentação e se perpetua na existência duma maré. Há um aliciamento na forma como ele a cobre, a atravessa e se esvaece sob a sua superfície. Aquela extensão de areia é o mar do tempo onde as horas se estendem. É a tentação do homem que a deseja moldar na forma das suas mãos. É a evidência do cansaço que se desfaz na sucessão dos dias. O mar são as novas horas que chegam e se sobrepõem. É a razão que desfaz a tentação. É a energia que revigora. Vês aquela extensão de areia que se espalha sob o mar? Vês aqueles passos que o mar não consegue apagar? São as pegadas dos meus pensamentos no caminho em que a ti me entrego.

[Na era digital, também da fotografia, Ampliações são as minhas revelações de algumas sugestivas imagens de SONJA VALENTINA; são ampliações escritas, obviamente pessoais, dos pormenores com vida registados pela fotógrafa]

8 comentários:

AnaMar (pseudónimo) disse...

E como conseguir que esse jogo de sedução apague as memórias do passado?

Cada onda é unica. Será que devemos levantar o pé para que outra onda nova nos banhe? E nos renove?

As pegadas permanecem no caminho indiferentes ao roçar do mar na areia. o pensamento em todo o seu poder...
Bj

Tia_Cunhada disse...

Hoje apetece-me ser areia...

Um beijo

Gi disse...

O enleameento é que nos mareia e nospermite não enjoarmos.

Charlotte disse...

Que bela metáfora dos teus pensamentos/sentimentos!
Fiquei sem palavras...é realmente linda!

elisabeth disse...

vejo esta extensão de areia, vejo este mar, que teima em apagar as pegadas do passado, veja o jogo da sedução e do saciar reconfortante e revigorante da sede...

vejo o tempo da razão que desfaz a tentação, embora revigora a energia, se perpetua, se eterniza, tal como as pegadas dos pensamentos não apagáveis...

entregar-se assim a quem?
um belo sonho... e bem desenhado...

Marta disse...

abraços
com admiração
para a dupla :)

© Piedade Araújo Sol disse...

a foto projectou a inspiraçao do autor.

as duas em consonância.

parabens aos dois!

Luz disse...

Um excelente jogo de palavras sentidas. Brotam do pensamento que sente e as consegue tocar como quem toca um instrumento de melodia suave tal harpa, violino, violoncelo ou, piano...
Um jogo de sedução entre os elementos que nos aliciam e aquecem a alma. Sentidos pensamentos que levam pelo caminho percorrido até a ti chegar e entregar sem os passos na areia apagar.
De grande beleza e sensibilidade.