segunda-feira, 12 de outubro de 2009

O TEMPO DO SILÊNCIO

Foto de Christian Hansen


Eu queria ter o tempo do silêncio
para o compor com palavras;
a cada pausa ouvir
as batidas do coração que não me pertence
e escrever-lhe o som dos sentidos.

Eu queria ter o tempo do silêncio
para nele fazer correr a minha inquietude;
a cada pausa cheirar
a infinitude do olhar com que não vejo
e desenhar-lhe a melodia dos desejos.

Eu queria ter o tempo do silêncio
para nele deitar toda a verdade;
a cada pausa tactear
a ansiedade da pele que não alcanço
e redigir-lhe versos de prazer.

Eu queria ter o tempo do silêncio
para lhe apartar a solidão que é minha;
a cada nota unir-lhe todas as pausas
para que o coração sinta o olhar da pele,
o prazer dos anseios
decorar a agitação que escrevo
em palavras
nas interrupções do silêncio.

6 comentários:

Tia_Cunhada disse...

É em silêncio que temos os pensamentos mais lúcidos. É em silêncio que nos descobrimos...
Que belo.

Um beijo

Helena Branco disse...

uma outra e sempre mais outra vezes fico aqui...suspensa a escutar-lhe os sentidos a embalar-me nos murmúrios das suas deambulações as fotos são bem os ramos que compoem as notas

cilita disse...

Se é tempo de silêncio, que se faça silêncio, á que respeitar o poeta... E há silêncios que dizem mais que as palavras.
Um beijo

Luz disse...

Há um tempo de silêncio que brota de nós como uma voz que ecoa e nos diz que não estamos sós e, é neste silêncio que nos encontramos, nos descobrimos, nos tocamos e sentimos mais puros e verdadeiros nos mais ínfimos prazeres que as palavras dizem calando em silêncio o tempo que temos para sentirmos todos os sentidos viajando...

© Piedade Araújo Sol disse...

há sempre um tempo de silêncio, por vezes forçado outras vezes inesperado.

gostei do poema e destaco esta frase:

Eu queria ter o tempo do silêncio
para nele deitar toda a verdade;

muito bom.

um beij

Zaclis Veiga disse...

Tenho visitado teu blog assiduamente e na maior parte das vezes o silêncio toma conta de mim. Fico por alguns minutos degustando tua escrita e percebendo o que ela causa em minha alma. Geralmente saio com um sorriso. Obrigada.