sexta-feira, 23 de outubro de 2009

DE TI


De ti
só quero os instantes de tempo
que me furtas para fazer teus;
de ti
só quero a luz do sorriso
em que me iluminas.
Não quero ser barco, nem maré
apenas a areia
onde aqueces a tua pele.

De ti
só quero as letras das palavras
com que me escreves;
de ti
só quero a efemeridade dos sonhos
em que te eternizas.
Não quero ser asa, nem voo
apenas o céu
onde esboças o infinito.

De ti
só quero o ar que expiras
no suspiro que te provoco;
de ti
só quero a inquietude do olhar
onde me sossegas.
Não quero ser flor, nem jardim
apenas o ópio
em que estimulas os teus desejos.

De ti
só quero a manhã das horas
em que me esperas;
de ti
só quero os dedos da mão
em que me prendes.
Não quero ser noite, nem leito
apenas o sono
onde o teu corpo dorme.

4 comentários:

elisabeth disse...

De ti
quero mais letras, palavras, versos, imagens como estas...

é viciante

Tia_Cunhada disse...

Mais um poema magnífico PasÇsos. Que bem fiz em passar por aqui para matar saudades...

"de ti
só quero a inquietude do olhar
onde me sossegas"

Também tenho "um olhar" que não consigo esquecer...

Beijo

Zaclis Veiga disse...

quer simplesmente tudo
lindo

Luz disse...

Queremos sempre mais do que todos os instantes, todas as palavras, todos os sonhos, todo o tempo, o dia, a noite, a flor, o jardim... Queremos o olhar que nos sossega quando nos olha com o calor que dele emana, queremos as asas para nos lançarmos no céu que nos façam voar sobre o mar, o oceano e depois poder planar e, no infinito poder tocar...