terça-feira, 3 de novembro de 2009

PEDIDO

Foto de Flo


Procuro o dia a cada noite que adormeço
um cheiro a terra molhada esquecido pela solidão,
atravesso o corredor cinzento do desencanto,
é apenas uma madrugada só que me abraça.

Enxugo gotas secas pela voz que não ouço,
afectos roucos trucidados no som da descrença,
prendem-se os sonhos na goma da surdez,
sinfonia não estreada por falta de compasso.

Abandono o palco defronte da plateia deserta,
sossego o maestro, o actor e o poeta.

Não se escreva, hoje, o que não pôde ser dito!
Não se encene, agora, o que não se soube exprimir!
Esqueçam-se as pautas onde a melodia se extingue!

Lá fora está escuro e só o silêncio se ouve…
Apague-se a ribalta para que não se adivinhem os passos!

Chego à janela, deixo entrar o vento e peço:
“Pousa teu olhar na minha pele…
despe-me a saudade!”

8 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

despe-me a saudade...

um dos melhores que li aqui!

parabéns!

beij

continuando assim... disse...

arrepiei-me ...como sempre :)


bj
teresa

AnaMar (pseudónimo) disse...

“Pousa teu olhar na minha pele…
despe-me a saudade!”

E o vento não atende o teu pedido. Revolta-te os cabelos afaga-te a pele mas veste-te da saudade do que há-de vir. Fragâncias de suor e lágrimas que já não sabes.

E as palavras que não ousas dizer?


Bj

susana disse...

Em tom de humor dir-te-ia: subornaste uma musa! Tipicamente tuga. Pagaste mesmo bem, que a inspiração desceu-te!

Em tom sério digo apenas: gosto deste poema e eu habitualmente não me entendo lá muito bem com a poesia.
Chego à janela, deixo entrar o vento e peço:
“Pousa teu olhar na minha pele…
despe-me a saudade!”

Apetece-me gritar-te: como podes tu ter escrito uma coisa tão bela? Ciúme, perguntas? Sim. Um confronto de raiva e admiração. Porque não escrevo eu assim e porque me sabe tão bem ler este verso?

Sem qualquer menção de exacerbado elogio: é mesmo um poema que toca. Só nos toca o que entendemos.

Posso dizer parabéns? Não.
Digo antes: continua, por favor.

Tia_Cunhada disse...

Quando pensava que nada me poderia aquecer do frio que faz aqui por este reino ... eis que uma cunhada iluminada me traz ate ti...

Estou a bater palmas Passos e a fazer-te uma venia...
E tu mereces todos e cada um dos aplausos!
Um beijo

milhita disse...

Saudade é a presença que nos habita, sem expressão. Saudade é vida que nos move, numa lágrima.
Um abraço

Paula disse...

Também eu " abandono o palco defronte de uma plateia deserta "......

paletadesonhos disse...

always a perfect symphony