terça-feira, 17 de novembro de 2009

NA ESPERANÇA DO ESMORECIMENTO

Foto de Takashi


Quando o sol inicia a curva descendente rumo ao horizonte, o dia ilude-se na convicção de ainda poder ser especial.

Mesmo que já estejam distantes os fulgores do raiar do astro rei, o dia sente energia suficiente para ainda poder ser único.

Já em pleno ocaso, quando esmorecem os últimos laivos de pujança, o dia renova a esperança de que ainda poderá atrair.

E quando a noite é soberana, e já as sombras de sol são discretas lembranças apagadas na artificialidade dos néones, o dia deita-se com a certeza de que, afinal, a vida só começa amanhã.

5 comentários:

Tia_Cunhada disse...

Ciclo de vida...

Muito bonito este texto.

milhita disse...

E eu, peço que a noite enfeite a Lua, que dancem em volta do tempo até que desperte outro dia.
Muito bonito este texto.
Trouxe-me um sopro de paz!

continuando assim... disse...

é sempre amahã ... o hoje nem existe!
bj
teresa

sonja valentina disse...

a própria vida sabe que não serve de nada adiar-se no (re)começo. naturalmente acaba por acontecer, sob pena da própria vida se deixar ultrapassar pelos dias que correm velozes e sem "piedade".

um abraço.

elisabeth disse...

Cada dia pode ser especial, se quisermos, a vida é feita de muitos dias, muitas noites, muitas cores, muitas melodias, muitas palavras, imagens, sons, é preciso saber apreciar ...

e ter confiança, ver a luz que está no túnel e a água cristalina do lago...