sábado, 7 de novembro de 2009

INCÓMODO

Foto de Calisto

Incomoda-me a cabeça que não é minha
mas a que pertenço…
há como um toldo universal que sombreia
a independência do querer.
Incomodam-me os pensamentos consentâneos
cujas unidades se individualizam…
soam milhares de megafones
como se pudessem ser instrumentos num recital.
Incomoda-me a vontade colectiva
que não sabe como eleger o rumo…
determinam-se os caminhos
antes de definir o destino.
Incomoda-me a decisão acordada
na opinião dos desejos…
teoria das cedências
imposta em negociações sem mercado.
Incomoda-me esta dor que não sinto.
Apenas me angústia.
Desconforto que não é meu.
Mas me domina.
Que não tolero.
Mas se impõe…

6 comentários:

Alexandra disse...

A Angustia! Precisamente a dor que não queremos porque mais dificil de suportar.
Perfeitamente dominante e avassaladora.

elsafer disse...

perfect
:)

continuando assim... disse...

inconfortavelmente ...seguimos assim..

bj
teresa

Laura disse...

Gostei deste incómodo.

Luz disse...

Incomoda-me este desconforto que me deixa desconfortável por aquilo que me tenta assombrar e, não me pertence nem tem de me inquietar...
Incomoda-me este incómodo de querer gritar um grito que não é ouvido porque há quem não queira ouvir que incomoda...

Parapeito disse...

A mim angustia me o conforto que nao deixa sentir o desconforto da angustia que nos rodeia...
Um abraço***

(gosto da Mafalda)*