sábado, 25 de julho de 2009

SURPRESAS

Foto de s. hervouet

Eu já sabia! Quando a água começa a ser mais do que a capacidade do espaço que a recolhe, começa a procurar frestas por onde sair, a criar pontos de fuga, até que acaba por transbordar. A sua boca começou a ter um aroma de sorriso inocente e espontâneo. As suas t-shirts, rimando habitualmente de qualquer forma com os diversos modelos de calças, começaram a ser escolhidas meticulosamente, até que se encheu de coragem e começou a perguntar-me opinião sobre a forma de melhor as combinar. Convenceu o pai a comprar-lhe uma colónia. Sim! Porque nos momentos de aquisição, o pai é sempre o melhor interlocutor já que as questões levantadas prendem-se sempre e só com o lado orçamental. Raramente as razões do pedido são postas em consideração. Até que me disse aquilo que eu já adivinhava. O meu irmão tem uma namorada.

Tentei evitar perguntas que me saltavam como pipocas a acabar de cozinhar. Sabia, porém, que se por aí fosse, menos conseguiria saber. Controlei-me com a certeza de que se o deixasse falar, mais pormenores ele me revelaria. Mas quis perguntar-lhe se iria dizer alguma coisa à mãe, ao que ele me respondeu: ‘um dia…’

Passei a ser sua cúmplice. Todos os dias ele me revelava pormenores, sabores do seu coração. Dizia-me de que cores pintava as paredes dos seus sonhos, com que tecidos revestia as asas dos seus voos. Eu ouvia-o ávida de novidades e confirmava a minha estratégia de que o ouvindo, sem muito perguntar, despertava nele a fluidez das confidências.

Há poucos dias atrás encheu-se de coragem e disse à minha mãe. Ela sorriu. Estremeceu no seu interior e fez as perguntas mais banais, calando dezenas de outras, daquelas que qualquer mulher necessita fazer, mas que uma mãe ainda mais deseja. Tenho a certeza. Abraçou-se a ele e sussurrou: ‘o meu filho está a crescer’. Senti que o seu coração teve de abrir um novo compartimento.

Pois é… a minha mãe prepara-se para ser sogra. E aquela fatia do seu coração onde o meu irmão mora vai ficar com um pedaço menos. Vou ter de lhe arranjar um namorado para perfumar aquela árvore a que lhe quebraram um galho.

5 comentários:

Alexandra disse...

Uma delícia de étapas de vida!!!

AnaMar (pseudónimo) disse...

Deliciada com este texto.
Um bj

© Piedade Araújo Sol disse...

escrito no feminino.

gostei!

um bj

Marta disse...

efabulações.
ternas efafabulações :)

Gi disse...

Não deixo de sentir um certo [e grande] enternecimento ao ver-te dar 1ª voz a personagens no feminino.