segunda-feira, 27 de julho de 2009

FAZ

Foto de Villi


Faz dos teus braços as minhas asas
e suspende a permanência do voo
no teu abraço a que me moldo

Faz das minhas palavras tua súplica
e desfaz o sentido dos significados
no teu olhar em que me revejo

Faz dos teus dias o meu livro
e demora o perfume da ternura
nas tuas mãos a que me agarro

Faz da minha voz tua melodia
e esquece os ecos do passado
no teu sorriso em que me digo

Faz dos teus anseios o meu corpo
e naufraga a carícia da pele
na tua noite em que me deito

Faz de mim o teu hoje
e arrasta a sombra do presente
no amanhã em que te sonho

6 comentários:

paletadesonhos disse...

suspendi a respiração e sonhei ... ficou um sabor doce ... bonito

Gi disse...

Faz do teu regaço o meu ninho
E embala-me no sonho
que os teus passos acalentam.

so_she_says disse...

A poesia não se comenta. Sente-se.

E, por isso, agradece-se.

© Piedade Araújo Sol disse...

dizia a natália correia que a poesia é para comer.

acho que não vou acrescentar mais nada.

o poema está sublime!

beij

Tia_Cunhada disse...

Que bom... ler e ouvir na língua de Camões :-)

sonja valentina disse...

voar. simplesmente voar... em palavras suspensas num olhar, sentidas. sentidos. abraços, pele, sorrisos... voar.