sexta-feira, 10 de julho de 2009

DESCONSTRUÇÃO DA ILUSÃO

Foto de wyb


Nas mãos vazias
tenho a desilusão do olhar
Rasgos de Primavera
na desconstrução do começo
O frio da noite
ao arrefecer a calidez da tarde
Livro fechado
no derreter do entusiasmo
Palavras descoloridas
na revelação da surpresa
Freio do impulso
na amplitude do salto.
Desencanto…
Desmanche…
Desfazer…
Decepção…
Nova espera repetidamente adiada
até um novo amanhã
até te revelares
num primeiro despe
rtar

4 comentários:

Tia_Cunhada disse...

Deixo-te um abraço...

© Piedade Araújo Sol disse...

gostei deste poema, embora lhe noto um certo desalento, mas, um poema belo.

mas, e como é hábito meu, li-o de baixo para cima.

e também faz sentido, por isso, este poema também pode ser lido nos dois sentidos.

um beij

Livreira disse...

Belo, Muito Belo ...

Parapeito disse...

nada de desanimar...porque...há sempre um novo amanha...
Um abraço*