quinta-feira, 2 de julho de 2009

O CAMINHO DO HOJE

Foto de Thiago Lopes


Até àquele dia fizera de cada hoje um planeamento dos amanhãs. Os ontens eram um álbum de recordações, de dias conseguidos, de objectivos atingidos, de sucessos alcançados. Orgulhava-se dos resultados, confiava no método, apostava no futuro a cada hoje.

Cada vez que folheava o álbum de recordações, lembrava pormenores, inspirava sabores, viajava em odores, reescrevia memórias e planeava para o futuro regressos ao passado. Projectava prazeres em memórias de felicidade.

Regressava sem sair e quando o fazia para realizar essa viagem, confiava que amanhã seria capaz de acrescentar um pouco de hoje ao ontem. E, até àquele dia, conseguira-o!

Mas um dia houve em que o hoje começou a correr no sentido inverso. Quanto mais pretendia avançar, mais os ponteiros do tempo o impediam, rodando das horas para os minutos e destes para os segundos. Inesperadamente o futuro tornou-se impossível de desenhar. O hoje perdeu sentido e só o passado parecia ser a opção.

Abriu o álbum de recordações e muitas lhe pareceram ter perdido cor. Haviam-se esbatido as tonalidades, os aromas. Os sons, os ímpetos. Procurou melhor para escolher as que mantinham mais vida. E insistiu em ir ao passado.

Porém deparou-se com paisagens desérticas, planícies insonoras, céus velados de mudança. E foi então que percebeu ter perdido a ilusão de que regressar ao passado era recuperar os prazeres que, no fundo, só se vivem uma vez. Regressar ao passado é uma tentativa frustrada de reviver o que tem uma só vida. Foi então que decidiu recuperar o hoje, pois só esse é possível viver com vida, sem memória, nem planeamento. Só hoje!

7 comentários:

Gi disse...

O "Implacable Escadator" lá no 31 também gostaria que outros não lançassem a escada ao passado para memória futura. É um presente envenenado.

E mesmo sem ver sei que é a Barbra Streisand a cantar. Como eu amo a sua voz!

Charlotte disse...

Viver o presente, cada dia que passa e sabê-lo aproveitar e saborear...é sem dúvida o que devemos fazer!
Mas, de vez em quando,também é tão bom regressar ao passado e reviver (em pensamento) certos momentos marcantes da nossa vida...
Quanto ao futuro, por ser desconhecido...nem vale a pena pensar muito nisso...O que vier, virá.

mariab disse...

um dia de cada vez. talvez só o hoje seja importante.
beijos

C. disse...

Yentl é um exemplo de como devemos trazer do "ontem" apenas aquilo que nos permite ser "hoje" mais fortes. Para todos os "amanhãs" que vierem.

Há quem diga tb que nunca se deve regressar aos "locais" onde um dia se foi feliz...

Beijinho de parabéns pela beleza do poema.

Alexandra disse...

Talvez só o HOJE faça sentido...

Teresa Queiroz disse...

sempre o tempo... o nosso misterioso e indomável tempo!!

Tia_Cunhada disse...

No fim recordamos sempre o princípio...

Mas os nossos pasÇsos têm que ser em frente... sempre...

Um beijo