sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

NOITE DE NATAL


A noite entranha-se na cama onde os lençóis se banham na humidade fria exterior às paredes. Estranho este vazio que toma conta do meu tempo, que inunda o meu espaço, que me amordaça as emoções, que me aprisiona o raciocínio. Tento libertar-me destes limos que se agarram à inércia de não viver. Tento respirar sobre estes cobertores dum caminho que não quero percorrer. Não me encontro no presente, substituto dum passado feito para esquecer e demasiado longínquo de outro que é preferível não lembrar por ser irrecuperável. É urgente abrir a porta do amanhã e acreditar que há uma mão à espera, uns braços ansiosos de mim, um olhar ofegante, uma vida despida pedindo que a vista com o meu ser. É urgente transpor esta fronteira do sono, entrar no sonho e correr para o futuro. Talvez lá… se celebre o Natal!


5 comentários:

Tia_Cunhada disse...

Solta os ferrolhos dessa porta e caminha... corre... para a vida que te quer abraçar...

Boa caminhada. Bom Ano Novo

Charlotte disse...

Espero que consigas alcançar o que tanto desejas e que preenchas o teu Natal de calor e afecto...e que o novo ano te traga mais do que o sonho!

Zaclis Veiga disse...

Meu desejo é que teu Natal tenha sido festejado em abraços afetuosos e doces carinhos.

Alexandra disse...

Como compreendo...

Mas, 'É urgente abrir a porta do amanhã e acreditar que há uma mão à espera (...)'.


É URGENTE ACREDITAR!!!

Um abraço.

profª Gabriela disse...

É mesmo assim, tal e qual!
Obrigada
Natal é sempre que um homem quiser!
quando quiseres