quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

NO CORRER DAS HORAS


Gasto
as palavras
nesta fuga
que de mim faço
para em ti
permanecer.

Pequenos
grãos de mel,
escritos
por enxames
de emoções,
que ouso
desejar
ver derreter
em ti.

Sei que
o coração
se tornará
mar árido
se
o teu olhar
não desaguar
em mim
sementes de estrelas,
com as quais
hoje
me fazes
arder
os dias.


5 comentários:

susana disse...

Realmente, continua tudo MUITO BEM! ;)

susana disse...

Tirando o facto de nos teres abandonado...

Herro Crasso disse...

No correr das horas ganham-se doces palavras que aquecem corações.

E assim se sente nos lábios o sabor de um sorriso finalmente triunfante...

HC aplaude o momento.

..
.

AnaMar (pseudónimo) disse...

Permaneces quando assim escreves.
Jamais o coração se tornará mar árido, muito menos deserto.
pois o olhar que em ti desaguar, inflama os dias das noites em que escreves.

Bj

© Piedade Araújo Sol disse...

sempre boa poesia, por aqui!

um beij