terça-feira, 29 de dezembro de 2009

NO CINZENTO DO DIA

Foto de Marcus Björkman


Paro no silêncio,
habito a tua ausência,
destapo segredos
sorvidos no ciclo das horas.
Visto-me de lembranças
roubadas ao sossego dos corpos,
navios ancorados
na nudez de abraços.
Dividem-nos fronteiras
onde apalpo fragilidades,
escoro cordas de ânimo
entre receios engolidos na dor…
mas a alegria traja-se de medo.


4 comentários:

VERA DE VILHENA disse...

Hoje mastiguei cinco passos de uma vez. Estou de barriga cheia. Votos sinceros de um ano inspirado e inspirador...sem inspirar dor.
Com amizade,
Vera de Vilhena

continuando assim... disse...

estive para aqui a ler e reler ... e esse hábito mata de tão seco !

beijo
gostei
bom ano
teresa

continuando assim... disse...

estive para aqui a ler e reler ... e esse hábito mata de tão seco !

beijo
gostei
bom ano
teresa

Luz disse...

É sempre no silêncio, na ausência e, nos segredos que as lembranças ganham uma outra dimensão e, os receios nos tomam pela mão..., numa alegria que em certos momentos se mistura com o medo...