quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

MEMÓRIAS COM MÁGOA

Foto © Magdalena


As memórias com mágua
vou enterrá-las
naquele vaso
escondido
no recôndito
canto esquecido
do quintal do tempo
Lembras-te?
Aquele onde me pediste
para depositar
outras memórias de mim
que te magoavam
Curioso...
Sabes?
Memórias tuas
aquelas que agora me magoam
vão ficar junto de outras
que me havías pedido
para retirar
do meu álbum de memórias
Ali
juntas
no mesmo vaso
escondido
no recôndito
canto esquecido
do quintal do tempo

5 comentários:

Gisela Rosa disse...

Belo! Adorei!

Milouska disse...

O poeta começa agora, conscientemente, a "esquecer"... para se abrir às novas alvoradas...
Um beijo,

Milouska

alice disse...

quando as sementes da memória se aninham no mesmo vaso e da terra cresce um só tronco, uma só promessa, uma só flor, é que finalmente os amantes são um só.

mariab disse...

enterrar as mágoas é algo que todos desejamos, não é? de alguma forma acho que acabamos por as enterrar, fundo na memória. beijo.

Marta disse...

tudo o que tenha mágoa, é melhor enterrar. deitar fora.
devia haver um "magoão" para todos deitarem lá as mágoas.
é que pesam muito.
andar com mágoas faz mal à coluna :)